Água para todos

Professor(a)! É hora de agir pela água, em cooperação com a água: por nós mesmos e para todos! Cada texto incluído aqui irá lhe trazer inspiração e um bom motivo para que você se mobilize e engaje seus alunos nas transformações necessárias na escola e nas suas vidas. Não deixe de participar, a gota da sua escola fará a diferença! Todas as informações, junto com o Painel “Água em tudo e para todos!”, podem ser trabalhadas criando uma escala da água do Planeta com o Brasil, e deste com a sua cidade, e depois com a sua escola e a paisagem do entorno. É como uma lupa que aproxima “do global para o local”, mas, no final, os alunos precisam perceber a água como o grande elemento de conexão de vida, em tudo e para todos!

Há 158 anos, o cacique Seattle, da tribo Suquamish, do Estado de Washington (EUA), já trazia uma sábia mensagem de alerta sobre as nossas atitudes com a água e a forma como reconhecemos (ou não) a sua importância para a vida. Trechos de sua carta enviada ao presidente dos Estados Unidos (Francis Pierce), quando o Governo manifestou a intenção de comprar o território ocupado por aqueles índios, são muito inspiradores e merecem reflexão:

A água que circula pelos rios e os riachos de nosso território não são somente água, é também o sangue de nossos ancestrais...Cada coisa que se reflete nas águas cristalinas dos lagos fala de acontecimentos do passado do nosso povo... Somos irmãos dos rios que saciam a nossa sede.. Os rios conduzem nossas canoas e alimentam os nossos filhos....”

Com um pouco de sensibilidade é possível reconhecer este elemento natural, essencial, onipresente, sem cheiro, cor ou sabor, chamado “Água”, como a garantia de vida hoje e no futuro. É o mesmo fluído que promove nossa gestação e nascimento, purifica e renova a alma, germina as sementes, garante nosso alimento, inspira artistas e poetas e, como bem precioso e mais valioso do que o ouro, permite o desenvolvimento econômico e o progresso!

Mas, apesar de ser universal e um direito de todos os seres vivos deste Planeta, hoje a água representa um contrassenso: a mesma água que salva vidas pode matar milhares de outras vidas pela contaminação; a mesma água que une as pessoas pode separar os povos, por falta de acesso ou pelas guerras e conflitos; a mesma água que diminui as secas, garante o plantio e renova os rios, pode carregar toneladas de lixo, desmoronar barrancos e moradias, destruir cidades pelas enchentes e aumentar a pobreza... O que faz da água um problema, quando é solução? Uma exclusão ao invés de inclusão?

A resposta está no fato de que a água é, atualmente, um reflexo de nós mesmos, do modo como vivemos, sem perceber o que fazemos e como fazemos. Sem cuidado consigo, com o outro, com a coletividade e com o meio ambiente/Planeta Terra.

“Ano Internacional de Cooperação pela Água”

A Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) declarou o ano de 2013 como “Ano Internacional das Nações Unidas da Cooperação pela Água”, o qual veio somar esforços com a “Década Internacional para Ação Água, fonte de Vida”(2005-2015) e a “Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável” (2005-2014). A decisão foi mais do que apropriada, porque cooperar pela água não é uma questão de simples escolha. É uma necessidade vital, prioritária e emergencial pela manutenção da vida e de todos os seres vivos na Terra, pois compartilham água nas suas múltiplas dimensões e aspectos físicos, biológicos, químicos, culturais, educacionais, científicos, religiosos, éticos, sociais, políticos, jurídicos, institucionais e econômicos. Isto significa compartilhar responsabilidades no cuidado e na administração dos recursos hídricos, cooperando consigo, com o outro, com a coletividade e com o Planeta Terra. Afinal, até uma gota de água sempre depende de outra gota para se renovar!

A crise da água é um reflexo do crescimento populacional, da má qualidade na urbanização e dos impactos das mudanças climáticas. Hoje, a água potável inacessível para muitos e um privilégio para alguns, quando deveria garantir a vida cotidiana decente e o bem-estar básico para todos. A ONU alerta: “Água limpa, e saneamento, são direitos universais para os seres humanos, podendo promover ou criar obstáculos para o desenvolvimento humano. Todos precisam ter uma quantidade de água segura, aceitável e fisicamente acessível para uso pessoal e doméstico”.

Para cumprir os 08 Objetivos do Milênio (http://www.objetivosdomilenio.org.br) a água é condição essencial para erradicar a pobreza e a fome, reduzir a mortalidade infantil, melhorar a saúde materna e combater as doenças. O painel “Água em tudo e para todos!” contém gotas, com seus respectivos verbos e interpretações dos símbolos, associadas aos objetivos do Milênio e as quatro mensagens extraídas da campanha da ONU:

a) A cooperação pela água é crucial para a erradicação da pobreza, a igualdade social e a igualdade de gênero;

b) A cooperação pela água gera benefícios econômicos: “todas as atividades econômicas dependem da água”;

c) A cooperação pela água é crucial para preservar os recursos hídricos e proteger o meio ambiente;

d) A cooperação pela água constrói a paz: “o acesso à água pode ser fonte de conflito, mas também é um catalisador de cooperação e de construção da paz. A cooperação por uma questão tão prática e vital quanto o manejo da água pode ajudar a superar tensões culturais, políticas e sociais, e pode criar confiança entre diferentes grupos, comunidades, regiões ou estados.” A construção da paz proposta pela ONU reforça os quatro cuidados da metodologia do Instituto Ayrton Senna: cuidado consigo, com o outro, com a coletividade e com o meio ambiente/Planeta Terra.