Grupos de Trabalho (GT)

 

 DIRETRIZES POLÍTICAS E AÇÕES ESTRATÉGICAS VOLTADAS PARA O DIREITO À ALFABETIZAÇAO

 

Síntese apresentada como fechamento das apresentações da plenária do GT

 

  

POLÍTICA DE ALFABETIZAÇÃO

 

1- Não é fruto de ações pontuais e nem um mosaico de programas/projetos desarticulados.

 

2 - Resulta da estruturação de ações articuladas com objetivos e metas redigidos e explicitados com clareza.

 

3 - A política que cria raízes e ganha sustentabilidade é aquela construída/definida com a participação de todos.

 

4- Para ser configurada como política precisa ser para todos.

 

5- Atualmente não pode mais prescindir de um trabalho integrado com a proposta de EDUCAÇÃO INFANTIL.

 

 

 

Os elementos constituintes de uma política de alfabetização:

 

a) Ter uma matriz de referência clara para todas as etapas / um currículo preciso.

 

b) Ter um sistema de monitoramento e de avaliação de processo e de resultado - gestão de processo.

 

c) Ter um sistema estruturado de reforço escolar com ações complementares.

 

d) Contemplar critérios claros de seleção e/ou atribuição de turmas para os professores que assumirão o processo de alfabetização.

 

e) Definir e garantir condições de trabalho, inclusive em termos de recursos materiais e didáticos e de tempo de planejamento para os professores.

 

f) Contemplar um processo de formação inicial e em serviço dos alfabetizadores.

 

g) Explicitar os papeis e responsabilidade de cada ator (diretor de escola, coordenador pedagógico, professor, técnicos da Secretaria, etc.)

 

Importante ressaltar o destaque que os grupos deram ao papel da parceria com o IAS suscitando a necessidade e apoiando na formulação de politicas de alfabetização.