Apresentação

 

A realidade dentro de uma boa parte de nossas escolas públicas mostra um cenário comprometido com a insegurança, não só pela ausência de uma educação de qualidade e os efeitos perversos advindos daí, mas também com questões ligadas à violência.  O cotidiano escolar está cada vez mais repleto de conflitos e tensões de ordem socioeconômica, cultural e comportamental, que refletem a complexidade do mundo lá fora, suas características, contradições e, essencialmente, a perda efetiva de valores humanitários.

 

Nesse ponto, a educação voltada aos direitos humanos resgata temáticas importantes no combate à crise de valores públicos e privados que vivemos atualmente. E como fica o gestor educacional diante dessa situação? Está ele preparado para identificar e promover a educação como um direito do cidadão, e não apenas como um serviço público?

 

Para fomentar o debate sobre esse tema, o Instituto Ayrton Senna realizou nos dias 29 e 30 de outubro de 2012, em São Paulo, o Seminário “Política Educacional e o direito de aprender: o que nós gestores temos com isso?”.

 

Além de palestras de especialistas convidados, várias redes públicas de ensino, parceiras do Instituto Ayrton Senna, apresentaram suas experiências de gestão com foco no direito de aprender. Apoiados pelo Instituto Ayrton Senna e visando melhorias no processo educacional, essas redes implantaram projetos que reduziram a infrequência e a indisciplina e melhoraram o rendimento escolar.